9 de novembro de 2011

Jane Austen


Postado por Carol Guimarães

“Muitas vezes perdemos a possibilidade de felicidade de tanto nos prepararmos para recebê-la. Por que então não agarrá-la toda de uma vez?”-Austen


Hoje quero escrever sobre uma das minhas autoras prediletas:Jane Austen.
Essa autora inglesa nascida na época de 1700 onde as mulheres deveriam ser educadas para cumprir as suas funções de esposa e mãe, obedecendo seus maridos, possui em suas obras uma pitada de feminismo,no qual seus escritos expõem as peculiaridades, a ingenuidade e o absurdo da mente humana.
Sendo assim suas personagens no decorrer das histórias lutam para serem tratadas como criaturas racionais, pois para Austen as mulheres deveriam ter uma educação racional e não serem trancadas dentro de casa tendo uma educação doméstica e religiosa.
No século XVIII para uma mulher poder se casar deve se dedicar aos talentos, que são habilidades que uma moça que “busca marido” deve cultivar para atrair a atenção dele, contudo Jane advoga em seus romances, por uma educação liberal para a mulher, independente de todos esses talentos, pois considera a falta de sensatez um grande risco para a vida social, para a escolha de um futuro favorável, e para a convivência conjugal.
Há muitas passagens na obra de Jane Austen dedicadas aos talentos, porém se há algo que todas as obras têm em comum é que nenhuma de suas heroínas está muito interessada por eles:
Acho incrível", diz Bingley, "como todas as jovens têm tanta paciência para cultivar todos esses talentos". (…) "Todas pintam, forram biombos e fazem bolsas. Não conheci uma que não saiba fazer tudo isso, e estou seguro de que jamais me falaram de uma jovem pela primeira vez sem referir-se a quão talentosa ela era". (…) "Uma mulher deve ter um amplo conhecimento de música, canto, desenho, dança, e línguas modernas para merecer essa palavra (talentosa); e, aparte de tudo isso, deve haver algo em seu ar e em sua maneira de andar, no tom de sua voz, em sua forma de relacionar-se com as pessoas, e em sua expressão que, se não for assim, não merecerá completamente a palavra".(Orgulho e preconceito)
Costuma-se dizer que Jane Austen foi uma escritora isolada da influência de outros de seu tempo e da vida social além da reitoria de Steventon, e da burguesia rural que formava a sociedade que a rodeava.
"Jane Austen viveu isolada do mundo literário: não conheceu nenhum dos autores contemporâneos, nem por carta, nem pessoalmente. Poucos de seus leitores conheciam seu nome, e certamente ninguém a conhecia além disso. Duvido que fosse possível mencionar qualquer outro autor notável que vivesse em uma oscuridade tão completa. Não posso pensar em ninguém que vivesse como ela, o que a contrastava com os outros"
Memórias de Jane Austen, Edward Austen-Leigh

Jane Austen foi uma escritora que contradiz os costumes de sua época e por isso seus romances são aplaudidos no mundo inteiro por possuir em suas heroínas um caráter maduro e sensatez.
 “Não tenho medo de mostrar meus sentimentos
e de fazer coisas imprudentes,
pois acredito que o que não se mostra, não se sente.
Coisa que talvez surpreenda muito a você,
pois os seus sentimentos são tão guardados
que parecem não existir realmente.”
Jane Austen





3 comentários:

  1. Adorei o post!
    Também admiro demais a Jane Austen, principalmente por ter sido uma mulher tão avançada em sua época!
    Suas heroínas certamente são figuras importantes da literatura mundial!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Amei, também sou encantada por Jane Austen, pela história de vida dela.
    Assisti aos filmes...mas nunca li os livros. Agora com a parceria da Martin Claret escolhi três clássicos de Jane Austen para começar! heheheeh Sei que será um prazer ler o que ela deixou registrado para todo nós.
    Bjs
    Amei teu blog!

    ResponderExcluir
  3. Puts, minha autora favorita... pena que escreveu poucos livros.

    ResponderExcluir