7 de maio de 2013

[Resenha cinematográfica] Somos tão Jovens...


Postado por Carol Guimarães




Por Geisa Prates


“Seremos sempre monstros da nossa própria criação...”

  
Para quem quebrou paradigmas, superou obstáculos, venceu preconceitos, essas e outras frases denotam a insistência pela sua música, pelos direitos de minorias e a decepção ao abuso de poder.  

Cansado da opressão da ditadura militar, das regras impostas pela família tradicional, dos limites estabelecidos pela sociedade, Renato Manfredini Júnior ou simplesmente Renato Russo como ficou conhecido mais tarde, decidiu quebrar o protocolo.  

Após descobrir que sofre de epifisiólise, uma rara doença óssea, Renato passa dias e dias estudando em seu quarto e quando finalmente pode sair de lá vai definitivamente mergulhar no seu verdadeiro “Eu”; abandonar as aulas de inglês que ministrava e assumir sua homossexualidade são alguns dos episódios mais difíceis perante a família.


Do Aborto Elétrico ao Legião Urbana, o longa Somos Tão Jovens, que estreou na sexta-feira (03) apresenta paralelamente o surgimento de outras bandas de rock em Brasília e letras que deram voz ao povo brasileiro tais como “Que País é Este”, “Faroeste Caboclo”, “Geração Coca-Cola”, entre outras.

“Nunca deixem que lhe digam que não vale a pena acreditar nos sonhos que se tem ou que seus planos nunca vão dar certo ou que você nunca vai ser alguém...Quem acredita sempre alcança!”



Vale a pena conferir! 



2 comentários:

  1. Morta de vontade de ver esse filme!
    Adorei a dica
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias
    Livroterapias

    ResponderExcluir
  2. Nunca estive tão ansiosa pra assistir a um filme,
    igual estou com esse!

    Sou uma super fã da música dele, e tenho certeza que
    vou me emocionar mt assistindo! rs

    Bjs.
    http://viciosemtres.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir