12 de maio de 2013

[Resenha] A Filha da minha Mãe e Eu


Postado por Carol Guimarães


Sinopse:Sensível e tão real a ponto de fazer você se sentir parte da família, A filha da minha mãe e eu conta a história do difícil relacionamento entre Helena e sua filha, Mariana. A história começa quando Mariana descobre que está grávida e se dá conta de que, antes de se tornar mãe, é preciso rever seu papel como filha, tentar compreender o de Helena e, principalmente, perdoar a ambas. Inicia-se, então, uma revisão do passado – processo doloroso, mas imensamente revelador, pautado por situações comoventes, personagens complexos e pequenas verdades que contêm a história de cada um.


 

  

 Por Geisa Prates

 

“Da minha mãe, não tive nenhuma palavra de compreensão. Em momento algum ela se pôs no meu lugar. Cedo percebi que nunca e nada faziam ela voltar atrás. Qualquer história sempre terminaria com o ponto final dela. E foi assim, entre tantos desencontros, que descobri que existiam duas Marianas: a filha da minha mãe e eu.”

Nada mais justo do que no dia das mães, eu resenhar este livro que faz refletir sobre qual é o tipo de relacionamento temos com nossas mães. Quando somos magoados por elas ou inverso, será nossa culpa, culpa delas ou do relacionamento que temos? – “Vocês diz que seus pais não o entendem, mas você não entende seus pais...você culpa seus pais por tudo...Isso é um absurdo!”, já cantava o poeta Renato Russo.


Só alguém com um profundo conhecimento em psicologia poderia ilustrar as relações cotidianas de forma tão verídica que em dado momento o leitor até acredita que faz parte da família. Emociona-se, chora, fica com raiva ou feliz.

Tudo começa quando Mariana descobre que está grávida e então faz um retrospecto, percorrendo um longo caminho para descobrir o seu papel de filha antes de ser mãe.

Dentro da história de Mariana, a autora aborda os problemas e polêmicas da sociedade atual como sexo, drogas, desagregação familiar e homossexualidade. A relação conturbada entre Mariana e Helena se dá quando a mãe (Helena) sente-se rejeitada pela filha e acredita que ela compete pela atenção e o amor do pai. Já Mariana pensa que a mãe, gosta mais do irmão, por sempre protegê-lo. Porém, esta proteção excessiva de Helena por Guga tem uma comovente explicação, que Mariana só descobre mais tarde. E você vai descobrir quando ler. 
A falta de comunicação de Helena também frustra Mariana, que teve com o pai, a conversa sobre a primeira menstruação. Porém, Helena não teve uma mãe, em quem se espelhar, talvez por isso não soubesse exatamente como agir, mas isso não significa que não ama a filha.

Paralelamente às atitudes antissociais de Helena, o livro relata a história de uma mãe que vai do céu ao inferno para proteger seus filhos. Neste caminho Mariana descobre que o imenso amor que tem pela mãe é reciproco, apenas a forma de demonstrá-lo é diferente. 

3 comentários:

  1. Parabéns pela resenha Nana! Já li A Filha da Minha Mãe e Eu e curti bastante. A temática é forte, mas é abordada de uma forma deveras suave. Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Nana eu li esse livro e foi uma lição de amor pra mim. Me compadeci da Helena por ela não ter tido um exemplo de mãe para ser aos filhos.
    Ela ama os filhos da sua maneira, aprende com eles no decorrer dos anos, isso mostra pra gente que as mães são humanas e não perfeitas, elas erram.

    Beijos
    www.leitoraincomum.com

    ResponderExcluir
  3. Oiee
    Acredita que eu ainda não li esse livro? Não o tenho, mas quero muito lê-lo. Parece ser uma história encantadora.
    MilkMilks
    DM
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir