2 de maio de 2013

[Resenha] Trilogia 50 tons...


Postado por Carol Guimarães







 - Eu prometo ser seu porto seguro e guardar no fundo do meu coração nossa união e você- sussurra ele,a voz rouca - Prometo amá-la fielmente,renunciando a todas as outras,na alegria e na tristeza,na saúde e na doença,não importa o rumo que nossa vida tomar.Eu a protegerei e a respeitarei,e confiarei em você.Partilharei das suas alegrias e tristezas,e a confortarei quando preciso.Prometo cuidar de você,apoiar suas esperanças e seus sonhos e mante-la segura a meu lado.
50 tons de liberdade.


Quando a ingênua Anastasia Steele conheceu o jovem empresário Christian Grey, teve início um sensual caso de amor que mudou a vida dos dois irrevogavelmente. Chocada, intrigada e, por fim, repelida pelas estranhas exigências sexuais de Christian, Ana exige um comprometimento mais profundo. Determinado a não perdê-la, ele concorda. Agora, Ana e Christian têm tudo: amor, paixão, intimidade, riqueza e um mundo de possibilidades a sua frente. Mas Ana sabe que o relacionamento não será fácil, e a vida a dois reserva desafios que nenhum deles seria capaz de imaginar. Ana precisa se ajustar ao mundo de opulência de Grey sem sacrificar sua identidade. E ele precisa aprender a dominar seu impulso controlador e se livrar do que o atormentava no passado. Quando parece que a força dessa união vai vencer qualquer obstáculo, a malícia, o infortúnio e o destino conspiram para transformar os piores medos de Ana em realidade.

Bem não vou enrolar fazendo um resumo dos três livros, então decidi pegar a sinopse do terceiro livro que acredito resumir toda a trilogia.

A trilogia começa com um conto extremamente erótico e muito fictício,chegando a ser nojento,sem contar com a escrita grotesca,porém vale ressaltar que 50 tons foi construído sobre os moldes de uma fanfic e como sabemos fanfic tem uma escrita popular.

Comecei a ler essa trilogia pelo fato do alvoroço que as pessoas fizeram,toda vez em que eu encontrava alguém lendo um livro e chegava perto para ver qual o título lá estava o famoso 50 tons.Acabei lendo algumas resenhas,mas o que me chamou mesmo a atenção foi o comentário de uma escritora chamada Noemi Jaffe que diz que  “Trata-se de uma historinha linear, sequencial, permeada por estereótipos amorosos e clichês dos tempos da fotonovela”.Esse comentário despertou a minha curiosidade.

Realmente o sucesso de 50 tons se deve ao fato de ter uma escrita fácil demais, pois pessoas que nunca pegaram um livro na mão se renderam na leitura desse conto erótico.

Ouvindo comentários de alguns leitores descobri que a maioria acabou achando um tanto vulgar o primeiro livro,sendo assim acabaram largando de lado e não deram continuação na trilogia,já outros apesar de não curtirem muito a grosseria da história queriam saber do final e se decepcionaram com o enlace que a autora deu,para eles a história acabou saindo à Nicholas Sparks,mas com uma pitada de erotismo.

O que temos nessa história é um personagem extremamente problemático que vê no sexo o seu ponto de paz,nesse mundo erótico ele consegue se encontrar melhor e de repente ele acaba se apaixonando,algo um tanto estranho para ele.

Essa paixão avassaladora que ele sente pela ingênua Ana,faz com que ele volte para o seu passado,ultrapassa os seus limites e começa a entender melhor o seu presente,aceitando-se.

Já a tão ingênua Ana consegue fazer algo um tanto impossível, ela consegue fazer com que o Sr Grey comece a se dar valor,a se amar e sendo assim a amar o próximo.

Por fim o poderoso Christian Grey se rende ao amor verdadeiro, ele acaba fazendo as pazes com o seu passado, entende o seu presente e por fim aceita uma vida “normal”.

"Você fez meu mundo virar de cabeça para baixo - Ele fecha os olhos e quando os abre novamente, vejo que estão tomadas pela emoção - Meu mundo era organizado, calmo e controlado. Aí você entrou na minha vida, com essa sua boca afiada, a sua inocência, a sua beleza e a sua coragem discreta… E todo o resto, tudo antes de você, simplesmente ficou bobo, vazio, medíocre… Nada! Eu me apaixonei - sussurra ele.”

50 tons é uma trilogia forte?Sim e muito,é algo fora do comum para a nossa sociedade e acredito que seja por essa falta de erotismo nos romances que fez com que essa trilogia virasse uma febre.

Percebe-se que os personagens cativam e muito o público,principalmente Christian Grey, ele é o que todas as mulheres desejam:rico,bom de cama e sim extremamente lindo,vale ressaltar que quando comecei a ler esse livro automaticamente lembrei de um ator que tem todas as características do Sr.Grey,moreno,olhos azuis claros,chegando a ser cinzas e com um corpo malhado.Será que E.L James pensou em Matt Bomer para criar o seu personagem?


Cinquenta tons é um livro cheio de clichês, um tanto banal, grotesco e “ruim”, mas vale ressaltar e admitir que é um conto atraente,que faz com que o leitor vivencie na pele as sensações.


Acredito que mesmo os livros ruins, levam aos livros bons. Quando o leitor se apaixona por um romance erótico como esse, ele acaba querendo mais e mais e se acaba se interessando em explorar outros.




4 comentários:

  1. Eu acho que não é ruim, é fraco, falta coisas, é clichê, no entanto se ele agradar alguém já vale, porque como você disse a pessoa vai procurar por mais e vai conhecer obras melhores, mais bem feitas e vai acabar melhorando seu modo de avaliar livros e vai se tornar mais exigente e vai continuar procurando e pegar gosto pela leitura.

    ResponderExcluir
  2. Oi Nana, tudo bem??

    Gostei dos pontos que você ressaltou sobre a trilogia porque, como dito na resenha, algumas pessoas não têm interesse nela e uma dessas pessoas sou eu. Por ter lido várias resenhas, o que me deixou mais desmotivada foi exatamente a narrativa fácil, popular. E não sei qual seria minha reação como pessoa e leitora diante de uma história carregada de erotismo. Acho que não seria totalmente positiva e já descarto a possibilidade de ler 50 tons.

    Acho que 50 tons se tornou uma febre exatamente por conseguir alcançar todas as camadas da sociedade no quesito narrativa, vocabulário, facilitando o "entendimento" da história.

    Eu ainda não sinto atração ou curiosidade por essa trilogia... #nãomejulgue

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Jeh!Tudo otimo e tu?!
      Bem eu te entendo perfeitamente,eu como leitora de décadas também penso assim,existe romances eróticos com mais classe que 50 tons,com certeza existe,mas que tal dar uma chance para esse conto de fadas?!É um baque muito forte,principalmente quando se trata de leitores experientes rsrsr parece que você se rebaixa ao ler essa trilogia,mas como eu disse no final da resenha livros ruins levam a livros bons....
      Obrigada pelo comentário,fico feliz por você ter feito uma visitinha *.*
      Beijokas Jeh \o/

      Excluir
  3. Não é o tipo de livro que eu costumo ler. Gosto de YA bem juvenil, que nem mencionam sexo. Talvez seja pela minha idade, sei lá. Mas a sua resenha realmente abriu meus olhos. Eu via 50 Tons como o cúmulo do ridículo - talvez por odiar muito crepúsculo e as origens do livro e adorar Felipe Neto. Eu não vou ler o livro. Mas você me ajudou a ver esse romance erótico com menos... nojo. É, então, hm... Obrigada, Nana.

    Sou a Laís do Grupo Li e Indico e Lendo e Comentando. Estou seguindo você pelo GFC.

    http://fakereader.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir