3 de junho de 2013

[Garota Tempestade]Afinal o que é ser jovem?


Postado por Carol Guimarães



 Por Luyne Mattos


De um lado uma juventude que encara a vida nada a sério, que anseia uma liberdade, seja de expressão, seja da sua própria vida. Que deseja a independência, que sonha, brinda a vida. Cheios de ousadia, conhecem tudo, se expressam, acreditam que só eles sabem a maneira correta de viver. Do outro lado a expectativa da família, os seus desejos contra a realidade... A realidade! Como encarar a juventude? 


É claro que estamos na era da facilidade! Tudo pode ser encontrando em um só clique, a qualquer momento. E para os jovens, os assuntos são cada vez mais familiares e expostos claramente, até a comunicação foi facilitada. Porém, nunca foi tão difícil parar pra conversar. Hoje em dia, a juventude está tão ocupada olhando para o celular, que trocar olhares, toques e conversa a toa dentro de casa se tornou complicada. Assuntos polêmicos são expostos e discutidos a qualquer momento, deixar sua opinião nunca foi tão fácil! O conhecimento é transmitido a todos, e qualquer que seja o conteúdo, chega de forma explícita. Podemos lembrar que na época dos nossos pais e avós, tratar de certas conversas era constrangedor e vergonhoso. Até hoje é assim. O medo de não ser compreendido, acaba fazendo um adolescente conversar claramente com outro por um bate-papo na internet, do que procurar os pais. E claro, como podemos esquecer a internet? Sites de relacionamentos se tornaram uma preocupação dentro de casa. Hoje ficou muito mais fácil até para namorar, contudo, mais fácil também de ser enganado. Muitos se aproveitam da ingenuidade, se é que posso assim dizer, e dos deslizes em que cada um acaba tomando.
Então se todos os assuntos são abordados tão claramente numa roda de conversa entre amigos, o que fazem com o conteúdo? Aparentemente, quanto mais abordado e explicado forem os temas polêmicos, mas curiosos eles ficam para apreciar tudo que o mundo pode dar. A religião para alguns não existem, e um medo de ser excluído dos grupos vêm crescendo. Ser aceito se tornou ser igual a todos. Aceitar a si mesmo é complicado, bater de frente, debater e discutir é ser diferente e isso há um preço. Se os pais prendem, não servem, se soltam, devem arcar com as consequências. Estamos na época em que crescer é a maior virtude, mas só basta um erro, que retornar a infância se torna o maior desejo. Antigamente castigos eram fundamentais, e umas tapinhas eram necessárias. Hoje bater é um erro, na verdade o erro sempre vai cair para a família. Seja na educação, na convivência, na forma em que foi criado.
Se tudo é tão claro, e os erros são os mesmos, o que falar dos jovens? Alguns anos atrás existia a falta de consciência em relação a alguns assuntos. Ultimamente o conhecimento não é mais um problema, o problema está no que cada um adquire, e ainda assim, faz tudo como se fossem leigos no assunto. E a quem devemos julgar? A quem devemos recorrer? O futuro da humanidade nessas mãos, e o que devemos fazer?
Até que a realidade aparece, afinal, tudo têm um preço. E as consequências da juventude tem um preço um pouco mais alto! Acontece que tudo será transportado, sem querer, para um futuro e a ficha então cai. Vale ressaltar que a geração mais deliciosa não contém somente os revoltados e problemáticos. Essa é a geração em que o mundo confiou como o futuro da humanidade. E devemos sim acreditar que por algum momento os enxergam de maneira errônea. E que os próprios também acreditem nisso, afinal ser jovem não é desculpa para errar.

2 comentários:

  1. Concordo com seu texto! Mas acho que nossa juventude não está perdida. Podemos fazer muito e de maneira certa sim :)

    Adolecentro

    ResponderExcluir
  2. Pra mim, não sei o que é mais difícil: ser jovem ou ser adulta! Os dois tem as suas responsabilidades!

    Beijos,
    Caroline, do Criticando por Aí.

    ResponderExcluir