19 de dezembro de 2014

[Resenha] Outlander - A Viajante do Tempo


Postado por Nathália Almeida

Olá pessoinhas!

Depois de tanto cá estou eu novamente com uma resenha para vocês. O livro de hoje me causou muita ansiedade antes de lê-lo, então se preparem para o que está por vir. Vamos ver o que achei de Outlander, A Viajante do Tempo?

Livro: A Viajante do Tempo
Série: Outlander #01
Autora: Diana Galbadon
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 800
Sinopse: Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros.
Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro escocês, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente? 


Eu sempre fui uma pessoa viciada por seriados de TV. Esse ano me encantei por um lançamento chamado Outlander, imaginem a minha surpresa ao descobrir que o livro seria lançado aqui no Brasil pela Editora Saída de Emergência. Claro que não perdi tempo e o li na primeira oportunidade.

Em Outlander, temos dois contextos aos quais devemos nos familiarizar, e no meio deles está a nossa protagonista: Claire Randall. O primeiro contexto que conhecemos é o “presente” de Claire. O ano é 1945 e a Segunda Guerra Mundial está chegando ao seu fim.

Durante a Guerra, Claire trabalhou como enfermeira em diversos hospitais improvisados, enquanto seu marido – Frank Randall – estava lutando por seu país. Agora que a guerra terminou, os dois estão em uma segunda lua de mel após passarem 6 anos separados.

O local escolhido para essa “reaproximação” não poderia ser mais propício: Iverness, nas Terras Altas ao norte da Escócia. Um lugar perfeito para os dois. Frank pode investigar mais sobre a sua genealogia e Claire pode se dedicar ao seu hobbie: botânica.

E é justamente por causa de seu hobbie que tudo se complica para Claire. Andando pela cidade a procura de uma certa planta, Claire encontra um círculo de pedras conhecido como Craigh na Dun. Ao se aproximar demais das pedras, Claire acaba atravessando uma delas e, consequentemente, uma fenda do tempo.

Aqui somos introduzidos ao segundo contexto – o predominante – do livro. Após atravessar a pedra, Claire se vê no mesmo lugar e com a mesma roupa, porém quase 200 anos antes! Confusa e tentando encontrar uma explicação lógica para o que acabou de lhe ocorrer, Claire é encontrada pelos homens do Clã Mackenzie.

Sem conseguirem se decidir sobre o que Claire exatamente é – uma prostituta, uma espiã ou uma bruxa – eles decidem levá-la com eles para o castelo do clã, onde ela passa a trabalhar como curandeira.

Mas o povo da época desconfia até da própria sombra e não parecem acreditar na história de que ela – uma sassenach, estrangeira – é uma simples mulher casada que foi assaltada na estrada, e suspeitam que ela seja uma espiã inglesa.

Agora, o mais importante para Claire é descobrir como ganhar a confiança do clã enquanto não descobre como voltar para o seu próprio tempo, para o seu marido. Mas como nem tudo é fácil, uma inegável atração por Jamie Fraser – um dos homens que a resgatou na estrada – aparece para colocar à prova o seu amor por Frank.

Quando vi que o livro seria lançado pela Saída de Emergência, já me preparei para uma trama intrincada e prolixa, afinal, a editora é caracterizada pela publicação de literatura fantástica. Já vou adiantando que de fantástico esse livro só tem o contexto de viagem no tempo. De resto, a autora soube se adaptar muito bem à época sobre a qual estava escrevendo. Não vemos nada tão absurdamente diferente do comportamento normal para uma sociedade de 1743.

Contudo, a leitura não deixa de ser complexa. Diana me parece ser o tipo de autora que viaja na escrita, e quando vemos temos um milhão de tramas sendo jogadas em cima da gente ao mesmo tempo. Isso não chega a ser absolutamente um fato ruim, ao contrário, apenas aumentou ainda mais o meu interesse pelo final do livro.

Devo confessar que quando o livro chegou na minha casa, levei um choque gigantesco. Lembro de olhar para todas as 800 páginas (OITOCENTAS!) e pensar no que eu me meti! Mas, apesar do tamanho absurdamente avantajado, a leitura é muito gostosa.

O livro é dividido em seis partes, narradas pela própria Claire. Cada parte representa um momento marcante da estada de Claire em 1743 e cada uma delas tem um efeito maior sobre a próxima. Ao meu ver, a divisão enriqueceu a trama, além de facilitar o entendimento do leitor.

Diana Galbadon construiu uma narrativa rica em detalhes, que nos ajudam a visualizar perfeitamente o cenário das Highlands. Todo o texto é extremamente visual e carrega sentimento. Outlander é o tipo de livro que agrada a diferentes tipos de públicos por abordar vários temas. Diana explora muito a questão do misticismo e das crenças do século XVIII, além de introduzir temas gerais como amor e ódio, guerras e disputas por território, política e história. Tudo isso contribui para a imparidade do livro.

Mas como vocês já devem estar pensando, viagem do tempo é um tema bastante batido na literatura. O que torna Outlander diferente dos muitos outros que temos no mercado? Os personagens.

Sempre digo que personagens constroem uma história e determinam o sucesso ou não da mesma. Eu, pessoalmente, dependo da minha empatia pelos personagens para avaliar se a história me agrada ou não. Em Outlander, Diana construiu personagens fortes e complexos, que fogem do padrão que estamos acostumadas a ler ultimamente.

Claire não é a típica esposa submissa. Ela é forte, determinada, tem seus próprios ideais e crenças e não se deixa levar por padrões da sociedade. Podemos dizer o mesmo de Jamie. São personagens que sabem como entreter o leitor até que ele finalize a leitura.

Ainda vale lembrar que esse é o primeiro livro de uma série! Se eu não me engano, nos Estados Unidos já são nove livros lançados. O volume dois acabou de ser lançado aqui no Brasil e espero trazer resenha para vocês em breve.

Quanto ao trabalho da editora, só tenho elogios. Esse não é o primeiro livro da editora que eu leio, mas a cada exemplar que chega na minha casa a surpresa é maior. O cuidado da editora com a diagramação é algo louvável. Isso sem falar da capa, que é praticamente uma obra de arte.

Mas chega de falar por hoje. Espero que tenha contribuido um pouquinho para atiçar a curiosidade de vocês. Vou deixar aqui o booktrailer e o trailer da série de TV. Assim vocês podem tirar suas próprias conclusões.



Beijinhos e até a próxima!

14 comentários:

  1. Hey Nathy :3 Eu a cada resenha sua me surpreendo com a sua maestria com as palavras.
    Quando a SdE mandou o informativo falando que Outlander era o próximo lançamento,na hora pensei em você para resenhá-lo!
    Muito obrigada pela resenha incrível e por me ajudar no FVL \O/
    Beijos Pão de Queijo!

    ResponderExcluir
  2. todos falam bem do livro, mas não tenho vontade de ler :x
    http://contodeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Estou com muita vontade de ler esse livro desde o sue lançamento, e quando vi a série a ansiedade apenas aumento. Estou me segundo para não me adiantar apenas vendo a série, pois quero fazer o caminho padrão com Outlander.

    Beijos.
    Blog Cantar Em Verso

    ResponderExcluir
  4. Oiii, eu estou com muita vontade de ler os livros dessa serie, eu já assistir alguns capítulos da serie televisa e não gostei mas espero que os livros sejam bons!

    xoxo!
    http://livrosseriesecitacoes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi flor, desde que vi o lançamento fiquei louca para ler esse livro, depois da sua resenha fiquei mais ainda.

    Mas já não sei se o leria mais, não é nem as 800 páginas que me assustou, mas sim saber que a serie tem 9 livros ou mais? O.o ,kkkkk. Jesus amado, não teria paciência de acompanhar uma história tão longa não, mesmo sabendo que é uma delicia de leitura.

    Sua resenha arrasou.Parabéns.


    bjs

    ResponderExcluir
  6. Oie, tudo bom?
    A primeira coisa que despertou meu interesse nesse livro foi o tamanho...ENORME. Fiquei com receio, mas depois de ler várias resenhas positivas eu fiquei curiosa para conhecer o livro e a série.
    Eu adoro livros que tem viagem no tempo e a autora soube inserir isso de uma forma bem original na história.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Nana!
    Ohhh eu até curti a sinopse desse livro, mas quando me deparei com ele na livraria, sinceramente, desistir D: MUITO GRANDE. MEU DEUS, ISSO É QUASE UM PRÉDIO. Mesmo que a historia fosse tão boa eu ainda não ia querer D: Não por enquanto.

    Abraços
    David Andrade
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá David! Tudo bem?
      Eu me apaixonei por esse livro assim que saiu o lançamento aqui no Brasil,as como você disse Outlander é enorme MEU DEUS hehehehehe então acabei desistindo e passando para a Nathy que convenhamos ficou incrível a resenha dela neh?
      Obrigada pela visitinha e volte sempre \o/
      Beijos Pão de Queijo!

      Excluir
  8. Oiee, tudo bem?

    Confesso que até tenho curiosidade em ler o livro. Mas o tamanho dele me desmotiva =( Parabéns por ter lido. Acho que eu vou ficar só na série mesmo

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oieee Nathy, tudo bom?
    Quando eu vi que esse livro ia ser lançado pela Saída de Emergência eu tinha surtado e além do mais é uma série, o qual me deixou bastante empolgado em assisti-la. MAZOQ?! Só agora que percebi, 800 páginas POPSADOAPSDOPAS Misericórdia. Ai gente, vou ver se consigo criar coragem e ir ler logo esse livro ou então assistir a série né, porque 800 páginas, vish OISADOISAOASDIASODIAS.

    Beeijos de pão de queijo para vocês também!
    Luan || Um Grande Vício Literário

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Eu adoro essa história, embora só conheça a série até agora. Essa será minha primeira leitura de 2015, reservei meu recesso de 5 dias, afinal, como você disse, são OITOCENTAS páginas! kkkk
    Eu me apaixonei pelo Jamie da série, e lá pude perceber que ele e Claire são personagens fortes mesmo, estou louca para ver isso no papel.
    E sobre o tamanho da série, parece que o 9º sai nos EUA por agora, e serão 10
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Adoreia a sua resenha.
    Fiquei muito interessada em ler o livro. Todos falam muito bem dele.
    E mais interessada ainda em ver o seriado.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Realmente Diana Gabaldon viaja na maionese para escrever seus livros,mas é uma viajem tao perfeita e tão interessante,que prende o leitor e nos faz viajar junto com ela.

    também comecei a ler depois de assistr ao seriado e me apaixonei completamente,Jamie é tão tudo e o relacionamento deles tão gostoso,pois Claire não é mesmo nada submissa e os dois juntos rendem suspiros e algumas gargalhadas ao leitor.

    Linda resenha....

    bjsss

    Apaixonadas por Livros

    ResponderExcluir
  13. Oi Carol! Olha eu sempre fiquei com vontade de ler este livro, mas o tamanho dele fica me dizendo coisas. Tenho grandes problemas com livros grandes demais.

    Bom, mas sua resenha me deixou um pouco curiosa e espero ler um dia quem sabe rsrs

    Beijos
    www.amorliterario.com

    ResponderExcluir